Saturday, March 25, 2006

O Pássaro da Alma


"No fundo, bem lá no fundo do corpo, mora a alma.
Ainda não houve quem a visse,
mas todos sabem que existe.
E não só sabem que existe,
como também sabem o que lá tem dentro.
Dentro da alma, lá bem no centro,
pousado numa pata, está um pássaro.
E o nome desse pássaro é o Pássaro da Alma.
E ele sente tudo o que nós sentimos :

Quando alguém nos magoa,
o pássaro da alma agita-se para lá e para cá
em todos os sentidos dentro do nosso corpo, sofre muito.
Quando alguém nos ama,
o pássaro da alma dá pulinhos de contente,
para trás e para a frente, vai e vem.
Quando alguém nos chama,
o pássaro da alma põe-se logo à escuta da voz
a fim de reconhecer que tipo de apelo é.
Quando alguém se zanga connosco,
o pássaro da alma recolhe-se
dentro de si ,tristonho e silencioso.
E quando alguém nos abraça, o pássaro da alma
que mora no fundo, bem lá no fundo do nosso corpo,
começa a crescer, crescer,
até encher quase todo o espaço dentro de nós,
tão bom para ele é o abraço.

Dentro do corpo, no fundo, bem lá no fundo, mora a alma.
Ainda não houve quem a visse,
mas todos sabem que ela existe.
E ainda nunca, nunca veio ao mundo alguém
que não tivesse alma.
Porque a alma entra dentro de nós no momento em que nascemos
e não nos larga
- Nem uma só vez –
até ao fim da vida.
Como o ar que o homem respira
desde a hora em que nasce até à hora em que morre.
Decerto querem também saber de que é feito o pássaro da alma.
Ah, isso é mesmo muito fácil :
É feito de gavetas e mais gavetas.
Mas não podemos abrir as gavetas de qualquer maneira,
pois cada uma delas tem uma chave para ela só!
E o pássaro da alma
é o único capaz de abrir as gavetas dele.
Como ?
Pois isso também é muito simples :
Com a segunda pata.

O pássaro da alma está pousado numa pata,
e com a outra – que em descanso está dobrada sob a barriga –
roda a chave da gaveta que quer abrir,
puxa pelo puxador, e tudo o que está dentro dela
sai em liberdade para dentro do corpo.

E como tudo o que sentimos tem uma gaveta,
o pássaro da alma tem imensas gavetas.
A gaveta da alegria e a gaveta da tristeza.
A gaveta da inveja e a gaveta da esperança.
A gaveta da desilusão e a gaveta do desespero.
A gaveta da paciência e a gaveta do desassossego.
E mais a gaveta do ódio, a gaveta da cólera e a gaveta do mimo.
A gaveta da preguiça e a gaveta do vazio.
E a gaveta dos segredos mais escondidos,
uma gaveta que quase nunca abrimos.
E há mais gavetas.
Vocês podem juntar todas as que quiserem.

Às vezes uma pessoa pode escolher e indicar ao pássaro
as chaves a rodar e as gavetas a abrir.
E outras vezes é o pássaro quem decide.
Por exemplo: a pessoa quer estar calada e diz ao pássaro para abrir
a gaveta do silêncio. Mas ele, por auto-recriação,
Abre-lhe a gaveta da fala,
E ela desata a falar, a falar sem querer.
Outro exemplo: a pessoa quer escutar pacientemente
- e em vez disso ele abre-lhe a gaveta do desassossego
que faz com que ela se enerve.
E acontece que a pessoa tenha ciúmes sem qualquer motivo.
E que estrague justamente quando mais quer ajudar.
Porque o pássaro da alma nem sempre é disciplinado
e às vezes dá-lhe trabalhos...

Agora já compreendemos que cada homem
é diferente do seu semelhante
por causa do pássaro da alma que tem dentro de si.
O pássaro que em certas manhãs abre a gaveta da alegria,
e a alegria jorra para dentro do corpo e o dono dele fica feliz.
E quando o pássaro lhe abre a gaveta da raiva,
a raiva escorre de dentro dela e domina-o totalmente.
Até que o pássaro volte a fechar a gaveta
ele não pára de se zangar.
E quando o pássaro está de mau humor
abre gavetas que dão mal-estar.
E quando o pássaro está de bom humor
escolhe gavetas que fazem bem.

E o mais importante – é escutar logo o pássaro.
Pois acontece o pássaro da alma chamar por nós, e nós não o ouvirmos.
É pena. Ele quer falar-nos de nós próprios.
Quer falar-nos dos sentimentos que estão encerrados nas gavetas dentro de nós.

Há quem o ouça muitas vezes.
Há quem o ouça raras vezes,
E há quem o ouça
Uma única vez na vida.

Por isso vale a pena
talvez tarde pela noite, quando o silêncio nos rodeia,
escutar o pássaro da alma que mora dentro de nós,
no fundo, lá bem no fundo do corpo. "
Michal Snunit

10 comments:

deep said...

Olá, Xana!
Não conhecia o texto, nem o autor.
Gostei da imagem do pássaro para representar a alma e dos significados que o texto encerra. Por ser um pássaro, a alma aspira por natureza ao vôo...
Tem um bom domingo!

Araj said...

Li, reli...reli e voltei a reler... não me apetecia parar de ler este poema... linnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnndo...

Anonymous said...

Como é que sabias? Como? Vou mandar-te por mail um texto do meu filho sobre este livro. Sintonias... beijinho Leonor

Nina said...

olá xana,sou educadora de infância e tenho um grupo de 25 crianças de 3 e 4 anos,arrisquei contar-lhes o pássaro da alma fiquei surpreendida com a reacção deles e a partir de Novembro que trabalhamos diariamente os sentimentos e as emoções e ainda hoje eles me falam no pássaro da alma,quando tiver tempo vou postar o trabalho que tenho feito com eles está a ser a experiencia mais gratificante dos meus 13 anos de ensino, tudo porque no fundo é a minha alma ou o meu pássaro da alma que me está a conduzir.
Tudo de bom para ti.

xana said...

Olá, nina!

Que bom saber de mais um aproveitamento desta história do "Pássaro da alma"
Acho fascinante que a tenha trabalhado assim com esse grupo de pessoinhas tão pequenas...mas tão grandes lá dentro!

Acredito mesmo na mensagem do "Pássaro da alma"
E o teu , hoje, veio visitar o meu e é assim que os dois pássaros da alma se encontra..., assim, aqui a conversar.
A partilhar experiências e abraços!
Ou almas! Ou almas!


Um fortíssimo abraço para ti, Nina. De Paz e de Bem.

LUZ said...

Bem hajas pela publicação, e por conheceres :) É simplesmente lindo

abracos

LUZ said...
This comment has been removed by the author.
Anonymous said...

Your blog keeps getting better and better! Your older articles are not as good as newer ones you have a lot more creativity and originality now keep it up!

Ray said...

Olá...
Sou d Brasil ME CHAMO DALVA e tenho familia ai em Setubal.
Tenho um neto que estuda ai pela manhã e a tarde fica no ATL,se chama RENAN ATALA VICTÓRIO e ele me mandou o texto para ler e me disse que fez o desenho do pássaro .Achei muito lindo o texto....
bjssss

ILDA OLIVEIRA said...

Cara amiga,

Que bom poder aqui chegar a este porto de abrigo...e encontrar..algo que à muito conheço...assim como o narro a outros por onde passo...

Além deste livro...tem outro lindo " Vem e Abraça-me" da mesma autora..este de cor amarela e branca...

O que aqui refere é azul e branco...

Beijos...continue...